Andy Irons: surfistas lembram momentos com tricampeão - aloha AI-

Andy Irons: surfistas lembram momentos com tricampeã

Com 3 títulos mundiais, havaiano marcou seu nome na história, protagonizou batalhas épicas com Slater e chocou o mundo com a morte precoce em 2010.

"A juventude é como diamantes ao sol, e diamantes são para sempre". Assim como os diamantes da música 'Forever Young', os grandes ídolos do surfe também são eternos. Os tubos mágicos, a elegância nas rasgadas, o estilo único, a elasticidade e leveza nos movimentos, que, orquestrados por um talento incomum, se imortalizam na memória por décadas e décadas.
Mark Richards, Tom Carroll, Tom Curren, Martin Potter, Kelly Slater; todos grandes ídolos, surfistas que marcaram época, excepcionais. Na lista dos grandes está um garoto da ilha havaiana Kauai: Andy Irons. Filho de Danielle e Phil, o pequeno Andy foi premiado com uma espécie de talento divino, desses que somente os escolhidos têm a sorte de receber.
O surfe sempre esteve presente em sua vida. Cresceu em um lugar onde se respirava surfe. Seu pai surfava, seus amigos surfavam, todos no Kauai surfavam. Logo, Andy e Bruce, o irmão caçula, entrariam na mecânica natural havaiana: surfar. Seu lado competitivo aflorou cedo, surfar por diversão não era mais o suficiente. Andy queria vencer baterias, queria sentir o gosto da vitória. Começou então a competir e, em 1996, veio a primeira vitória. Um ano depois já disputava a Primeira Divisão do Circuito Mundial. A primeira vitória na elite do surfe foi em 1998, diante de Michael Campbell, em Huntington Beach, Califórnia.
Mas foi em 2002 que o mundo conheceria o verdadeiro Andy Irons, a máquina de competição. O havaiano começou a brilhar após a etapa australiana de Bells' Beach. Não teve para mais ninguém, Andy deixou Mick Fanning, Joel Parkinson e Taj Burrow para trás. Depois veio Teahupoo, onde ele pôde mostrar sua técnica apurada nas bancadas rasas taitianas. Nesse ano, o surfista ainda venceu o brasileiro Neco Padaratz, na Espanha, e Kelly Slater, em Pipeline. Coroando assim um merecido título mundial.

Rivalidade histórica

Com Andy disputando o Campeonato Mundial de Surfe, e vencendo quase todas as etapas da competição, Kelly se sentiu estimulado a voltar a competir no tour. Por não ter um oponente a altura, o hoje 11 vezes campeão mundial chegou na época a anunciar aposentadoria, mas viu na figura do havaiano o adversário perfeito a ser batido. Ele voltou, e os dois protagonizaram os duelos mais estimulantes da história do surfe mundial. Em 2003, travaram uma verdadeira guerra dentro e fora da água. Gigantes, tinham um
talento colossal, assim como seus egos.
Vaidosos e extremamente competitivos, as feras iam ao extremo. Não admitiam perder, muito menos se a derrota fosse para um deles. Entre 'jogos mentais', provocações e aéreos alucinantes, Andy Irons e Kelly Slater proporcionaram aos amantes de surfe os mais mágicos espetáculos. Nas competições, quando os dois entravam na água, era como se o público entrasse em transe. O duelo de titãs atraia o mais disperso dos olhares. A briga pelo título de 2003 foi uma dos mais emocionantes do tour mundial. Andy havia vencido três etapas, Kelly também. O título foi decidido na última etapa, em Pipeline, diante de toda a comunidade havaiana. Mais uma vez Andy Irons se coroaria o rei de Pipe.



Andy Irons carregou durante muitos anos a fama de arrogante. Por ter um temperamento explosivo, conquistou a antipatia de alguns. Mas Dustin Barca sai em defesa do amigo, diz que o homem por trás da máquina de competição era uma 'criança grande' que só queria surfar.
- O Andy foi uma das pessoas mais amorosas que já conheci. Ele era muito carinhoso com os amigos e com todas as crianças, ele gostava muito de crianças. O que posso dizer sobre o Andy é que ele era uma criança grande que amava surfar e que só queria estar no oceano durante todo tempo, todos os dias.


Irons morreu de um ataque cardíaco devido a um forte foco coronário, ou seja, arteriosclerose grave, "o endurecimento das artérias". A artéria dele tinha estreitamento de 70% a 80%. Este estreitamento é muito grave. Uma placa dessa gravidade, localizada na artéria coronária descendente anterior, é comumente associada à morte súbita - disse o médico na época que foi feito o exame.
Remada havaiana
O corpo de Andy Irons foi cremado e suas cinzas jogadas no mar do Havaí. A comunidade do surfe compareceu em peso. Uma tradicional remada havaiana foi organizada pela família e amigos. Todos em suas pranchas, juntos, rezaram para Andy. Coroas de flores foram jogadas no oceano. Além da família e amigos, os competidores do tour também compareceram: Kelly Slater, Mick Fanning, Joel Parkinson, Jordy Smith, Taylor Knox, os irmãos Hobgood, todos prestaram suas homenagens ao tricampeão mundial. Com o apoio de Bruce Irons, a esposa Lyndie, na época grávida de oito meses, foi a responsável por jogar as cinzas.

aloha mahalo



 

 
QS Santinho 2015 - Etapa de nível 6000 rola em outubro

Com importantes seis mil pontos em disputa na “corrida” pela vaga à elite mundial de 2016, o Pro 15 Florianópolis SC será disputado entre os dias 20 a 25 de outubro, na Praia do Santinho, capital catarinense.

A 32ª etapa do Circuito Mundial Qualifying Series (QS) abre a “perna” brasileira nesta reta final da disputa pelas dez vagas à elite dos top 34 da World Surf League (WSL) e distribuirá US$ 150 mil em premiação, sendo US$ 25 mil ao vencedor.

Serão cerca de 170 surfistas de 24 países e entre os nomes confirmados, os atletas que figuram entre os dez primeiros do ranking: os brasileiros Alex Ribeiro e Caio Ibelli, o norte-americano Kanoa Igarashi, o australiano Ryan Callinan e o francês Joan Duru, garantindo um excelente nível técnico.

Outros surfistas do Brasil que seguem na “briga” por vagas também estarão competindo na etapa, como Michael Rodrigues (vencedor da disputa catarinense em 2015, realizada na praia da Joaquina), Jessé Mendes, Bino Lopes, Hizunomê Bettero, Thomas Hermes, Heitor Alves e Deivid Silva.

Santinho

Localizada no norte da Ilha de Santa Catarina, a 40 km do Centro, a Praia do Santinho já tem história no Circuito Mundial de Surf. Das 25 etapas do Mundial de Surf já realizadas na capital catarinense, três foram nessas ondas. A primeira foi em 2006, com vitória do francês Patrick Beven.

No ano seguinte, o carioca Simão Romão subiu ao lugar mais alto do pódio e em 2010 foi a vez do pernambucano Bernardo Pigmeu comemorar o primeiro lugar, derrotando na final o paulista Gabriel Medina, atual campeão mundial. A mesma praia também já foi sede de uma etapa do QS feminino, em 2006, naquele ano parceria com o resort Costão do Santinho, com vitória da paraibana Diana Cristina.

Vale destacar que a disputa pelas dez vagas do WSL Qualifying Series para o Samsung Galaxy Championship Tour é concentrada nas etapas 6000 e 10000. No ranking final, são somados os cinco melhores resultados da temporada e essas pontuações são decisivas. A etapa ganha ainda mais importância, por ser uma das últimas do ano. A premiação da competição será de US$ 150 mil, a partir da rodada com 96 atletas, divididos em 24 baterias, onde os últimos já garantem 450 dólares.

Já o primeiro colocado embolsa 25 mil dólares e 6.000 pontos, com o segundo ficando com 12 mil dólares e 4.500 pontos. Para o gerente da WSL South America, Roberto Perdigão, a realização da etapa é fundamental para manter um calendário consistente. “Depois da conquista do título mundial do CT 2014 pelo Gabriel Medina e com a fantástica participação dos brasileiros na temporada de 2015 da WSL, vencendo a maioria das etapas do CT e do QS mundo afora, obter um bom resultado no Pro15 Florianópolis SC, que abre a perna brasileira de final de ano, antes das etapas do Havaí, pode favorece os surfistas sul-americanos”
 

 
Vento sul forte interrompe o terceiro dia de competições do Oi SuperSurf na Praia da Joaquina. Próxima chamada neste sábado as 8:00

 

 
[2015-10-06] - QS Santinho 2015 - Etapa de nível 6000 rola em outubro
[2015-09-11] - Vento sul forte interrompe o terceiro dia de competições do Oi SuperSurf na Praia da Joaquina. Próxima chamada neste sábado as 8:00
[2015-09-08] - Surfistas de treze estados do país já estão escalados para estrear no Oi SuperSurf de Florianópolis, que começa nessa quarta-feira na Praia da Joaquina, aloha
[2015-01-19] - Musa do Riozinho - Floripa
[2014-12-29] - Feliz 2015 - Boas Festas. Sucesso
[2014-12-22] - A revista "Sexy" divulgou uma prévia do ensaio nu de Indianara Carvalho, eleita recentemente a dona do bumbum mais bonito do Brasil
[2014-11-04] - O'Neill SP WQS Prime
[2014-10-20] - Medina segue na frente para faturar título inédito na etapa final, em Pipeline
[2014-10-20] - Mick Fanning vence WCT de Portugal, ultrapassa Slater e encosta em Medina. aloha
[2014-10-13] - Surfista de 20 anos pode se tornar o primeiro brasileiro campeão mundial nesta semana - mas lenda americana ainda não desistiu do 12º título de sua carreira